Mulher, casa e trabalho!

É fato que há cada vez mais mulheres empreendendo no Brasil. Há cinco anos, quando a Rede Mulher Empreendedora começou, quase não se ouvia falar sobre empreendedorismo feminino. Embora isso pareça ter começado agora, o fato é que nós mulheres sempre empreendemos. Ser mulher, mãe, empresária, cuidar da casa, dos filhos e da carreira dá trabalho e não há fórmulas mágicas, é preciso planejar e organizar.

Minha mãe sempre trabalhou “por conta”, era autônoma com múltiplas funções: cabeleireira, costureira, fazia crochê, tricô e sempre teve que conciliar o trabalho com a casa. Ela optou por costurar em casa para conseguir dar conta da casa e dos filhos. Era outra época, mas o dilema ainda é o mesmo.

Quando se tem uma empresa e se propõe a conciliar esta tarefa com filhos, pode ser um pouco mais complicado. Nada é planejado, bem ao estilo da Lei de Murphy, mas sua empresa não pode parar.

Nessas horas em que nossa vontade é sentar e chorar, temos que ser fortes, parar, pensar e tomar decisões: ser empreendedora é lidar o tempo todo com esses imprevistos e nosso desafio é tentar buscar o equilíbrio, saber delegar, buscar apoio e tentar se antecipar.

Como contadora, trabalho o tempo todo correndo atrás do tempo, torná-lo o mais produtivo possível. Quem trabalha na área ou empreende sabe um pouco da rotina: burocracias, obrigações acessórias, prazos curtos, mudanças de lei etc. para conseguir dar conta é preciso planejar e estar preparada sempre para os imprevistos. Abaixo, atitudes simples que me ajudam a lidar com estas situações e gerenciar melhor meu tempo:

  • Crianças: No escritório tenho materiais para crianças: lápis de cor, desenhos, brinquedinhos. Parece uma bobagem, mas dá uma grande ajuda quando recebo visitas do meu filho de cinco anos ou visitas de clientes com filhos, pois é bem comum que mães empreendedoras levem as crianças ao escritório;
  • Agenda: Tenho uma agenda anual com todas as atividades e vou organizando mensalmente as atividades gerais/rotineiras, ajustando sábados, domingos e feriados e as atividades semanais (uso uma agenda Online que consigo acessar em qualquer lugar e é sincronizada com o meu smartphone). Ao anotar os dados na agenda utilizo também siglas para facilitar a busca, por exemplo, todas as reuniões marco como AGENDA, atividades do dia a dia separo por siglas (TRB – Trabalhista/Recursos Humanos, FIS – Fiscal, CTB – Contábil etc.), também uso cores (vermelho são as urgentes). Tudo precisa ser fácil de ser visualizado, para sem pensar muito eu já sabia do que se trata;
  • Há tarefas que devem ser dívidas: As atividades da casa e com os filhos não são uma responsabilidade e exclusividade minha, elas são divididas com o meu marido. Nos cafés da RME sempre destacamos que é essencial a ajuda do(a) companheiro(a). Além disso tenho um grande apoio da dinda (minha cunhada) e da avó (de coração), que me socorrem com as crianças sempre que preciso. Elas são verdadeiros anjos da guarda!
  • Há tarefas que devem ser delegadas: Nas atividades de casa também tenho outros apoios, como faxineira a cada quinze dias, lavanderia etc. Educadores financeiros em geral orientam a tratar isso diretamente como dinheiro, mas aprendi que tenho que olhar por outro ângulo: qual o custo da minha hora? Quanto me custa fazer essa atividade? Quanto eu ganharia se me dedicasse ao meu negócio e à minha família?
  • Valorize parceiros e colaboradores: Para o negócio crescer é preciso saber trabalhar em equipe, valorizar parceiros e colaboradores. O seu negócio deve ser estruturado para conseguir andar sem você e o ideal é que seu tempo como empreendedora seja dedicado em atividades estratégicas, mas para isso é preciso se cercar de pessoas que compartilhem da mesma visão, tenham o mesmo conceito de ética e valores e complementem habilidades que você não tem.

Conciliar todas essas atividades não é uma tarefa fácil, porque exigem disciplina e dedicação. Não exija a perfeição em tudo, como diz Sheryl Sandberg, no livro Faça Acontecer: “Feito é melhor que perfeito. (…) Mirar a perfeição causa frustração, no melhor [cenário], e paralisa, no pior”.

Fonte: Jornal do Empreendedor00

Compartilhe:


Voltar

 

Desenvolvido por: In Company